Diretor: Vitor Aleixo
Ano: XI
Nº: 550

Será o Qatar a melhor solução para a realização do Mundial? Voltar

Antes de mais, o desporto respeita determinados valores éticos, entre os quais: igualdade, liberdade, solidariedade, honestidade, justiça, responsabilidade, respeito pela dignidade humana, confiança, disciplina, etc. Considerando que o Futebol e a FIFA podem ser agentes de mudança, neste caso acabaram por não fazer a diferença no Qatar e prevaleceu uma competição que a todo o custo se vai realizar.

A preparação deste Mundial, tem de tudo menos a transmissão destes valores supracitados! Infelizmente existiram várias denúncias de um sistema laboral que viola os direitos essenciais e levou a milhares de mortes de trabalhadores envolvidos na construção de infraestruturas. Para além disso, são vários os relatos de pessoas migrantes que viram os seus passaportes cassados (este ficava com a entidade empregadora) e mesmo que tivessem condições não podiam ir visitar a família, só com autorização patronal. Mesmo que quisessem mudar de empresa, esta não foi permitida sem autorização superior.

Atualmente existem vários salários em atraso e pessoas que fizeram denúncias acabaram detidas. Existiram muitos trabalhadores sujeitos a trabalhos forçados, vivendo em condições precárias e trabalhando em condições climatéricas extremas, sem limitação de horário e sem direito a descanso.

Considerando que a organização do Mundial levou o Qatar a comprometer-se a introduzir alterações à legislação laboral (passar a definir salários mínimos, horários, condições de trabalho) estas acabaram por não ser cumpridas. A FIFA sendo uma entidade que afirma que controlou as questões dos direitos humanos, tem que assumir responsabilidades num controlo débil e limitado, apesar de afirmar que irá criar um centro de apoio a trabalhadores que irá permanecer para lá do Mundial.

Cada vez mais me sinto triste com o Futebol, pois considero-o como uma forma de demonstração de força política e marketing, perdendo a sua essência.

- 25 nov, 2022