Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: x
Nº: 493

Filme de Melanie Pereira representado na DOC Lisboa Voltar

O «Lugares de Ausência» está selecionado para a “Competição Nacional” do festival DOC Lisboa, que procede outro trabalho realizado por Melanie Pereira, denominado «Memória Descritiva», tal como explica a própria autora. “«Lugares de Ausência» é um ensaio documental que aprofunda o tema que trabalhei no meu filme anterior, «Memória Descritiva», onde abordo uma casa em construção há 30 anos, sendo essa uma casa de emigrantes portugueses que anseiam o retorno à mesma”, refere, descrevendo o documentário como “um passo em frente. É um novo fragmento dessa casa, onde exploro o seu interior, os seus tempos, as suas memórias, as suas ausências, e abro o plano para casas no mesmo contexto que ela”.

Melanie Pereira considera o seu trabalho no cinema como “arrogante”. “Chamo-lhe de arrogante porque, quando entro no processo de criação, entro com o pensamento de querer trabalhar um certo tema, objeto ou condição que me afete e que me confunde, sem pensar em como isso afetará o espetador”. O processo do filme fez com que Melanie se ligasse “de uma forma muito profunda com esta casa e também ouvir o que ela tinha para dizer, os tempos e as memórias que ficam dentro dela”.

O filme «Lugares de ausência», realizado por Melanie Pereira, no âmbito da conclusão do mestrado em Cinema, na Universidade da Beira Interior (UBI), está selecionado para a “Competição Nacional” do festival DOC Lisboa. Apesar de se tratar daquilo que se considera um “filme de escola”, ou seja, de obras produzidas por estudantes durante a sua formação superior, o trabalho faz parte da Competição Nacional, que tem 11 filmes selecionados, oito deles em estreia mundial.

O filme da UBI é exibido nos dias 23 (a partir das 18h30) e 24 de outubro (depois das 11h00), na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, em Lisboa.

Para Melanie, o DOC Lisboa é “um festival que admiro e acarinho muito, tendo sido o festival onde estreei o meu primeiro filme em 2018 e onde, assim quis o acaso, foi premiado com o prémio do júri na sua competição”.

No futuro, a autora e realizadora do «Lugares de Ausência» pretende “acabar as filmagens da primeira longa-metragem, que esperamos poder estrear em 2022”. “Começo a dar alguns passos como formadora de cinema, júri em festivais, que são para mim novos desafios extraordinários. Tenho ainda dois projetos em mente em torno de emigração portuguesa, mulheres e cinema, duas temáticas em volta das quais o meu trabalho parece querer gravitar, que vão também ser dois desafios”, concluiu.  

- 22 out, 2021