Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: X
Nº: 466

“Ritmo da vacinação está a superar as nossas expectativas” Voltar

Até ao dia 2 de abril foram vacinadas 21.348 pessoas na Cova da Beira contra a Covid-19, das quais 13.740 correspondem a primeiras doses e 7.608 são referentes a segundas doses. Os números são relativos até ao dia 2 de abril e foram avançados pelo diretor-executivo do Agrupamento Centros de Saúde (ACES) da Cova da Beira, Manuel Geraldes, ao Jornal Fórum Covilhã.

“Demos um incremento muito grande à vacinação de março para a primeira semana de abril. Da última semana de março para a primeira semana de abril aumentamos em 42% o número de vacinas administradas”, disse. Manuel Geraldes faz um “balanço positivo” da vacinação na Cova da Beira, sublinhando que “a nossa capacidade de vacinação aumentou muito e ainda temos capacidade de dar resposta a esse incremento. As vacinas têm chegado ao ritmo que pretendemos e sentimo-nos satisfeitos com este ritmo de vacinação”, afirmou.

Na Cova da Beira, a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 “está quase concluída”, sendo que “já estamos administrar vacinas da segunda fase. A segunda fase abrange pessoas entre os 50 e os 64 anos com patologias e os indivíduos entre os 65 e os 79 anos de idade, além da comunidade escolar e da resposta social de apoio à infância, sendo que nos dias 10 e 11 estão convocadas 1.461 pessoas desta área para serem vacinadas. Depois é que se alargará ao resto da população”, explicou.

No entanto, Manuel Geraldes avança que “ainda não é possível apontar uma data em que 60% da população da Cova da Beira esteja vacinada contra a Covid-19. No máximo, daqui a duas semanas concluímos a primeira fase da vacinação. A meta dos 60% da população vacinada na Cova da Beira ainda não consigo apontar uma data, porque não sabemos quando vamos concluir a segunda fase. Estamos com um bom ritmo de administração de vacinas e com valores que até ultrapassam as nossas expectativas. Em termos de vacinação, o ACES da Cova da Beira está a ter um papel bastante ativo e dinâmico neste processo de vacinação”, realçou.

Manuel Geraldes salientou ainda que “o nível de recusa da vacina na Cova da Beira é muito reduzido. As pessoas estão aderir à vacinação e independentemente de toda a polémica que tem surgido, concretamente com a vacina da AstraZeneca, o que está provado é que os benefícios são superiores aos efeitos adversos. Considero que a população deve continuar aderir, porque é através da vacinação que podemos prevenir e quebrar as cadeias de contágio”, disse.

 

“Na taxa de incidência temos uma situação bastante favorável”

Nesta conversa com o Jornal Fórum Covilhã, o diretor-executivo do ACES da Cova da Beira comentou ainda os casos ativos nesta região. “Na taxa de incidência temos uma situação favorável. Belmonte está com uma taxa de incidência de 31 casos de infeção da Covid-19 por cem mil habitantes; a Covilhã com 28 casos por cem mil e o Fundão com oito casos por cem mil. Na Região, a Cova da Beira está com uma média de 22,3 casos por cem mil habitantes. Considero que estamos numa situação bastante favorável e o desejável é que este número não suba”, disse.

 

OS NÚMEROS

 

Vacinação até ao dia 2 de abril

21.348 pessoas

13.740 com a primeira dose

7.608 com a segunda dose

 

Taxa de incidência a 8 de abril

Belmonte: 31 por cem mil habitantes

Covilhã: 28 por cem mil habitantes

Fundão: 8 por cada cem mil habitantes

- 13 abr, 2021
- Ricardo Tavares