Diretor: Vitor Aleixo
Ano: XI
Nº: 550

Alimentação: o fator que pode salvar o fígado Voltar

A dieta alimentar tem um grande impacto na saúde do nosso corpo e, como seria de esperar, o fígado não é exceção. Os estudos revelam que as doenças do fígado relacionadas com a obesidade, diabetes e colesterol elevado têm vindo a aumentar nos últimos anos e as previsões para as próximas gerações não são de todo animadoras. Por este motivo, é fácil observar que a alimentação pouco saudável está associada ao declínio da saúde e é essencial mudar comportamentos para proteger os órgãos, nomeadamente o fígado.

Em Portugal, estima-se que mais de um milhão de portugueses sofram de esteatose hepática (gordura no fígado), uma patologia onde existe acumulação de gordura no fígado, derivada de fatores de risco como o sedentarismo e o excesso de peso. Normalmente, é uma condição reversível, mas a não alteração de comportamentos pode resultar em doenças graves como a cirrose hepática ou o cancro hepático.

Para tratar a esteatose hepática não se recorre a um tratamento específico, mas sim a uma reeducação no estilo de vida. Um dos fatores cruciais é proceder à perda de peso, através da prática de exercício físico regular e do ajuste da dieta, que deve ser equilibrada e apresentar poucas gordura saturadas e hidratos de carbono. Controlar outras doenças e não ingerir bebidas alcoólicas em excesso são outros aspetos a ter em conta. No que diz respeito à dieta, deve-se reduzir as calorias ingeridas e evitar alimentos ricos em gordura e açúcar. As carnes vermelhas são outro alimento a reduzir no cardápio.

Se é consumidor regular de fruta e vegetais frescos estará a dar um passo positivo na saúde do seu fígado. Aproveite e adicione cereais integrais, proteínas e lacticínios com pouca gordura às suas opções. Para os fãs dos doces recomenda-se o chocolate negro, que pode ser complementado com amêndoas, ricas em ácidos gordos ómega-3.

Na secção dos líquidos, opte por beber água todos os dias, uma vez que terá resultados positivos não só no fígado, mas nas restantes funções do corpo. O café e o chá são outras alternativas interessantes.

O fator alimentação e estilo de vida saudável são o aspeto chave para prevenir um fígado gordo e doente, além de que contribuem para o bom funcionamento dos órgãos do nosso corpo. No entanto, é necessário frisar que não basta apenas seguir este conjunto de indicações. Normalmente, a maioria das pessoas não apresenta sintomas de esteatose hepática, mas em estádios mais avançados da patologia poderá sentir cansaço e dor no lado superior direito do abdómen.

- 19 nov, 2022