Diretor: Vitor Aleixo
Ano: XI
Nº: 550

Projeto da UBI sobre cancro da próstata recebe Bolsa de Investigação Voltar

O projeto ARGOS – “Desregulação do Tecido Adiposo Periprostático Induzida por Químicos Ambientais e a Agressividade do Cancro da Próstata” foi premiado com Bolsa de Investigação em Urologia 2022 (APU / Jaba Recordati).

O projeto foi apresentado por Bruno Jorge Pereira, urologista e professor convidado da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (FCS-UBI) e membro colaborador do Centro de Investigação em Ciências da Saúde (CICS-UBI), como investigador principal, sendo coordenado pela também docente e investigadora da FCS e CICS, Sílvia Socorro.

Fazem ainda parte da equipa Carlos Rabaça, Diretor do Serviço de Urologia do IPO de Coimbra, e outros membros do CICS-UBI, nomeadamente a aluna de doutoramento Mariana Feijó, a realizar o seu trabalho nesta área, e outros investigadores da equipa, Sara Correia, Cátia Vaz, Lara Fonseca e Luís Alves.

O ARGOS pretende explorar a relação entre o tecido adiposo periprostático e o cancro da próstata no contexto de influências ambientais que podem induzir a sua desregulação para um fenótipo promotor do cancro. No geral, o projeto ARGOS permitirá identificar alvos moleculares específicos que poderão vir a ter utilidade no desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas que possam retardar a progressão do cancro da próstata em doentes obesos e outros, eventualmente expostos a químicos ambientais com potencial obesogénico.

O projeto agora premiado enquadra-se no seguimento do ProMETAB – “Fatores extrínsecos na modulação do metabolismo da próstata: aplicações na prevenção, diagnóstico e tratamento do cancro (POCI-01-0145-FEDER-029114)”, que teve como investigadora principal Sílvia Socorro e co-investigadora principal Ana Paula Duarte (FCS e CICS UBI). Este projeto terminou a 30 de junho deste ano.

A obesidade, uma das pandemias do século XXI, é apontada como um fator de risco para o desenvolvimento de cancro da próstata mais agressivo, estando associada à aceleração da progressão da doença para estádios mais avançados e de maior dificuldade de tratamento. Sabe-se também que o tecido adiposo periprostático em indivíduos obesos atua, pelo “crosstalk” que estabelece com as células da próstata, como um elemento promotor do crescimento, progressão e agressividade dos tumores. Daqui resulta a importância do projeto premiado.

- 31 out, 2022