Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: XI
Nº: 534

Plataforma apela a suspensão imediata do pagamento de portagens na A23 e A25 Voltar

Para este pedido a Plataforma justifica o aumento dos “custos de contexto”. “Desde o início deste ano assistimos ao aumento desmesurado do preço dos combustíveis, da energia, do gás e dos bens de primeira necessidade que, associado ao custo das portagens e de outras taxas e impostos, torna incomportáveis as deslocações do Interior para o Litoral e vice-versa e debilita ainda mais a economia do Interior. Este cenário agrava os indicadores demográficos de envelhecimento da população, de despovoamento com a emigração dos mais jovens, em especial os mais qualificados, e da diminuição da capacidade competitiva do Interior numa economia globalizada”, refere o documento.

“Em face do exposto, vimos junto de Vossa Ex.ª expor que as portagens no Interior, não sendo o único fator de desvantagem competitiva, são, claramente, um dos principais custos de contexto que é preciso eliminar. Por isso, estamos convictos que a suspensão imediata das portagens no Interior (A23, A24 e A25) é uma medida de emergência regional e de bom senso económico que o governo deve implementar com a máxima urgência, sob pena de aquilo que se ganha em cobrança de portagens se perca em atividade económica”, refere a Plataforma, em comunicado

De recordar que a Plataforma P’la Reposição das SCUTs na A23 e A25 tem procurado ter uma intervenção de diálogo com o governo e os partidos representados na Assembleia da República, tendo em vista a eliminação das portagens nas Ex-SCUTs do Interior.

Luís Garra, que representa a União de Sindicatos de Castelo Branco, anunciou ainda que a Plataforma também vai estabelecer novas parcerias para “dar maior músculo” ao processo reivindicativo e que vai solicitar reuniões às comissões de utentes da A25, em Viseu, e da A24, em Vila Real.

O objetivo é agilizar convergências, quer na tomada de posições, quer em ações concretas que possam vir a ser realizadas no futuro.

Será ainda lançado o manifesto «Todos Juntos pela Reposição das SCUT» e as associações empresariais e as organizações sindicais de Viseu, Vila Real, Bragança, Portalegre e Santarém serão convidadas a estarem entre as entidades subscritoras.

O documento ficará disponível para todos os que o queiram assinar, sejam pessoas individuais, empresas ou entidades.

A Plataforma P'la Reposição das SCUT nas autoestradas A23 e A25 integra sete entidades dos distritos de Castelo Branco e da Guarda, nomeadamente a Associação Empresarial da Beira Baixa, a União de Sindicatos de Castelo Branco, a Comissão de Utentes Contra as Portagens na A23, o Movimento de Empresários pela Subsistência pelo Interior, a Associação Empresarial da Região da Guarda, a Comissão de Utentes da A25 e a União de Sindicatos da Guarda.

Além destas, há várias outras entidades que estão presentes no conselho geral, que é um órgão consultivo.

- 06 jul, 2022