Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: x
Nº: 493

USCB abre nova Casa Sindical Voltar

Depois da Covilhã e Castelo Branco, a União de Sindicatos de Castelo Branco (USCB) abre mais uma "Casa Sindical", no Fundão. O Coordenador acredita que este é “mais um avanço na organização e presença do movimento sindical no território”.

Concebida pela União de Sindicatos de Castelo Branco, a Casa Sindical do Fundão é um projeto pensado há já algum tempo e que, de acordo com o Coordenador daquela estrutura sindical, só depois do apoio do município fundanense e do “esforço financeiro” por parte da USCB, foi possível ergue-lo.

Neste sentido, Sérgio Santos deixa um agradecimento ao presidente da Câmara Municipal do Fundão, “que desde a primeira hora esteve sempre connosco, e que tão gentilmente nos cedeu este espaço”. O Coordenador refere ainda que “este não é um projeto de uma pessoa só” e por isso agradece “a toda a direção do USCB e em especial ao antigo coordenador, pelo empenho, a que se propuseram para que esta casa fosse uma realidade”.

Com a abertura deste espaço, a União de Sindicatos de Castelo Branco acredita que se vá preencher uma lacuna que há muito existia no concelho e no distrito, uma vez que os trabalhadores fundanenses recorriam às outras casas sindicais e sendo que, agora, podem ser sindicalizadas num “sítio que é deles”. Mas, acima de tudo, para Sérgio Santos, este é um continuar de uma história que esteve sempre ligada à luta dos direitos dos trabalhadores.

“Com mais este espaço estamos a honrar e a dar continuidade ao rico património histórico de luta dos trabalhadores da nossa região que, como todos sabemos, sempre desenvolveram lutas que sempre assentou numa forte organização operária e sindical, que vem das associações de classes até aos dias de hoje, e que se afirmaram e afirmam como referência no plano nacional. A história do distrito é indissociável da luta dos trabalhadores.”

A União de Sindicatos garantiu o mesmo tipo de serviços que todas as outras casas no distrito. Como tal, a estrutura sindical no Fundão terá igualmente um espaço de formação, onde os trabalhadores poderão aprofundar os seus conhecimentos sobre qualquer matéria, sendo que a primeira ação está pronta para avançar, com turma cheia para aprender sobre primeiros socorros.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Fernandes, que se disponibiliza, institucionalmente, para todas “as colaborações importantes que valorizem o trabalhador e o trabalho”, este é um modelo que traz benefícios para as duas partes.

“Porque mais do que uma cedência de espaço há aqui um modelo que me agrada muito que é um processo colaborativo. Nós também queremos utilizar este espaço para capacitarmos e formarmos aquilo que são os nossos colaboradores e trabalhadores e como tal, aqui também há esta troca em que todos ganhamos e, acima de tudo, em primeiro lugar ganha os trabalhadores, os colaboradores”.

A abertura da Casa Sindical do Fundão contou com a presença da Secretária-Geral da Confederação Geral dos Trabalhadores, Isabel Camarinha, que mostrou enorme satisfação pela concretização deste projeto.

“Com a inauguração desta casa sindical num concelho em que a ambição da existência de um local onde os trabalhadores se pudessem dirigir, informar-se, organizar-se, sindicalizar-se, aderir aos nossos sindicatos, era já uma ambição de há muitos anos, e que é hoje concretizada. Isto é sempre uma satisfação porque isto garante aquilo que é a génese da CGTP”.

Isabel Camarinha não deixou passar a oportunidade para deixar críticas aos governos, sobre as “décadas, de ausência de investimento na nossa produção nacional, de desindustrialização e o que tem acontecido ao interior do nosso país. O que verificamos é que também nem no orçamento de estado, nem na política geral do governo do partido socialista, há uma aposta efetiva na melhoria, na coesão territorial, no investimento nas regiões do interior, no sentido de garantir que os trabalhadores e as populações destas regiões tenham acesso a uma vida digna e a todos os direitos que todos nós queremos ver garantidos”.

A nova estrutura está pronta para funcionar de segunda a sexta-feira e o coordenador da USCB garante que, se se justificar, o horário será alargado, mas por enquanto estará de portas abertas das 12h30 às 18h30.

- 21 out, 2021