Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: x
Nº: 493

Grupo investe em hospital privado na Covilhã Voltar

O município da Covilhã efetivou um protocolo com a empresa Forumlar, para a construção de um Hospital Privado. Na última reunião de câmara pública deste mandato, que se realizou no dia 10 de setembro, o presidente da autarquia, Vítor Pereira, explicou que este espaço terá três blocos operatórios, várias dezenas de quartos de internamento, unidade de cuidados intensivos e urgência 24 horas. Está previsto um investimento de 50 milhões de euros, sendo que 15 milhões de euros é o valor para a construção e os restantes (35 milhões de euros) para o equipamento médico e tecnológico. O edil covilhanense afirmou que este hospital privado contará com 350 postos de trabalho, onde 135 são médicos ao que acrescem enfermeiros, auxiliares e outras profissões inerentes ao funcionamento desta unidade. O início da obra está previsto para o primeiro trimestre de 2022.

O edil covilhanense clarificou que “os grupos hospitalares não constroem os edifícios onde pretendem instalar as suas unidades e optam sempre por contratar empresas que constroem o edifício, e uma vez construído celebram contratos tendo em vista a instalação e exploração do mesmo”, e adiantou que “o município está a protocolar com a Forumlar, a empresa que vai construir este edifício”.

“Este protocolo é muito específico e, se não ocorrer dentro das circunstâncias de tempo que estão referidas, fica sem efeito e o terreno retorna ao domínio municipal” afirma Vítor Pereira. “Estamos a falar de um investimento a sério, que aparece de 30 em 30 anos”, conclui.

Adolfo Mesquita Nunes, vereador do CDS-PP, votou contra a proposta, dando o esclarecimento que “não diz respeito ao objetivo de trazer uma unidade hospitalar para o concelho da Covilhã, mas ao instrumento utilizado para esse efeito, não diz respeito aos intervenientes mas apenas à consideração de não estar devidamente acautelada a posição do município, que na obstante de perder uma clausula de reversão em caso de não construção do hospital, não prevê um espaço temporal para que essa construção tenha lugar”.

Carlos Pinto, vereador do «Movimento de Novo Covilhã», vota contra a celebração do protocolo entre o município e a Forumlar. O voto, segundo Carlos Pinto, deve-se a duas razões: “trata-se de um ato de cedência de terreno sem qualquer solidez de garantia do projeto beneficiado e por inadequação do local onde se prevê a beneficiação do terreno para um projeto desta envergadura”

O edil covilhanense considera que este projeto, em conjunto com outras medidas ao nível da saúde, vão colocar a Covilhã como “capital da saúde a nível nacional”.

Foi também dada a conhecer, na última reunião, a entrada do projeto com início previsto ainda para este ano, da construção de uma Estrutura Residencial para Idosos, num investimento de 10 milhões de euros, com contratação de 60 trabalhadores. A Covilhã vai contar também, segundo o autarca, com duas clínicas privadas e uma Unidade de Saúde Familiar, junto à Ponte Mártir in Colo. Ligado à Unidade de Saúde Familiar da Covilhã estará também um Centro de Atividades, “onde o envelhecimento ativo estará em todas as suas vertentes”.

- 16 set, 2021