Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: X
Nº: 462

EDITORIAL: «Nunca se pode começar uma casa pelo telhado» Voltar

O Interior do país tem sido confrontado com diversas problemáticas ao longo dos anos, nomeadamente o subfinanciamento a que tem sido sujeito. Sabemos ainda que este é um fator preponderante para que não haja mais desenvolvimento, nem que se possam implementar mais medidas para que se fixem jovens e crie mais emprego. Tenho defendido ao longo do tempo que o Poder Central tem de ter um olhar mais amplo para os problemas das regiões mais interiores e uma mentalidade mais assertiva das medidas que implementa, nomeadamente em efetivar soluções que por vezes nunca chegam a sair do papel. Não basta fazer conferências de imprensa e debitar pacotes de ideias avulsas que podem visar esta ou aquela medida. O Interior deve ser de uma vez por todas discriminado positivamente com medidas concretas de apoio ao emprego, aos jovens, aos empresários, ao turismo e à fixação de serviços que promovam a qualidade de vida das populações e que possam ser uma alavanca no combate à desertificação.

O Estado não pode apresentar medidas de apoio avulsas se não resolver os problemas primários no que concerne à saúde, educação, segurança, infraestruturas… São necessários mais médicos, mais serviços de saúde, mais proximidade nos níveis de ensino, mais efetivos da GNR, mais proximidade nos serviços postais, com reforço nos Postos de Correios. Ou seja, se não resolvermos primeiro os problemas infraestruturais, não há medidas de apoios que sejam eficazes para fixar pessoas, que atraiam riqueza ou que fortaleçam a economia. Toda e qualquer medida de apoio financeiro que for aprovada e aplicada nas regiões do Interior do país só terá sucesso se for acompanhada de um reforço de infraestruturas e meios.

Nunca se pode começar uma casa pelo telhado, assim como não é possível realizar os grandes sonhos sem antes ter passado por todas as etapas, mesmo que pequenas, entendendo que no meio do caminho vamos ter de fazer ajustes e os projetos terão que ser reajustados. Nunca podemos saltar etapas para concretizar um objetivo e os erros que os sucessivos Governos têm cometido com o Interior do país é querer resolver os problemas com a ideia de que medidas avulsas poderão gerar milagres, e isso nunca irá acontecer. Para haver sucesso tem de haver planeamento e objetivos definidos para que o futuro seja de êxito.

- 02 mar, 2021
- Vítor Aleixo