Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: X
Nº: 450

«A música portuguesa vive em cada um de nós» Voltar

Nascido em Dornelas do Zêzere, no concelho de Pampilhosa da Serra, Tiago Silva considera que a música sempre fez parte da sua vida.

Com a infância vivida nesta aldeia, onde fez a escolaridade, passou o tempo entre a escola, o rio Zêzere e as brincadeiras de rua.

A música fez, desde pequeno, parte da sua vida. Os convívios no estabelecimento comercial dos pais e, mais tarde, a oportunidade de ingressar no Rancho Folclórico de Dornas do Zêzere, onde tocava acordeão, também ajudaram ao desenvolvimento do gosto por música popular.

“Nunca reneguei as minhas origens e delas sempre tirei partido para os meus dez trabalhos discográficos como o «Ó meu lindo Zêzere», «As aldeias dos meus encantos» ou «Ao dom desta Concertina», entre outros temas que fazem parte dos diferentes CD’s”, explica o cantor.

Ingressou mais tarde no Seminário do Verbo Divino do Tortosendo, em 1998, onde aprendeu o que consideram ser “valores para a vida”. Realizou os estudos no Externato de Nossa Senhora dos Remédios, até 2004.

“A minha ida para Coimbra no ano de 2005 deveu-se fundamentalmente para o estudo da música, tendo ingressado no Conservatório Regional de Coimbra onde frequentei aulas de canto, formação musical e piano até ao ano de 2009”, diz Tiago. No ano de 2011 foi convidado pela Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) para iniciar um projeto de percussão no Grupo de Bombos.

Atualmente, continua na instituição onde, para além do grupo de bombos, desenvolve outros projetos musicais. “Pelas características das pessoas com deficiência exige de nós maior motivação e trabalho, para que possamos atingir os objetivos que passam pela integração social, aprendizagem e melhoria de qualidade de vida destas pessoas e das suas famílias”, refere. Neste momento, Tiago Silva também dá aulas de concertina na Academia de música de Coimbra.

Este cantor popular de profissão, está hoje nas bocas do país pela participação no concurso televiso The Voice Portugal, da RTP, onde tem conquistado boas críticas. 

Decidiu concorrer no The Voice Portugal porque neste ano atípico, em que as festas pararam, não conseguiu realizar espetáculos da forma que pretendia. “Como se fechou essa porta, pensei em abrir outra e o palco do The Voice é sem dúvida uma grande oportunidade”, declara Tiago.

O objetivo da participação era sobretudo o de celebrar os 20 anos de carreira e mostrar que o palco do The Voice tem lugar para a concertina e para a música popular portuguesa.

“Quando as cadeiras se viraram foi emocionante e sinto-me grato pelo reconhecimento dos mentores em relação à minha voz”, explica o cantor. “Com qualquer um dos quatro mentores ficaria muito bem, mas identifico-me mais com o António Zambujo”.

Depois de ser escolhido nas provas cegas do programa, e com a interpretação já de vários temas como «Nem às Paredes Confesso», «Eu Nasci a Ouvir Fado» e «Gota de Água», o artista passou também em frente nas Batalhas, tendo chegado aos tira-teimas que aconteceram este domingo. O cantor voltou a surpreender o público e jurados e conseguiu ser um dos quatro escolhidos diretamente para seguir para as galas. O próximo programa em que Tiago Silva se vai estrear nas galas, acontece a 6 de dezembro, à noite. 

Ao longo dos últimos 20 anos, o artista considera que teve “a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas que continuam um legado fantástico de amor pela cultura e tradições que os seus pais e avós lhe deixaram”.

“Saibam que eu sou o fruto de todos esses momentos que vivi. Para já, no The Voice quero continuar a festejar convosco e para isso o apoio será essencial”, referindo ainda que é preciso de ajuda para “levar a nossa música e as nossas tradições mais longe e, não se esqueçam, a música portuguesa vive, em cada um de nós”.

 

 

 

- 24 nov, 2020
- Helena Esteves